Skip to main content

Docente Bruno Gomes Pereira é nomeado membro da Academia de Letras da América Latina

A nomeação de Bruno a Academia de Letras da América Latina é mais um feito em sua carreira brilhante, multipremiada e de contribuições internacionais.

A nomeação de Bruno a Academia de Letras da América Latina é mais um feito em sua carreira brilhante, multipremiada e de contribuições internacionais.

Quando o Prof Dr Bruno Gomes Pereira entrou na Academia de Letras do Pará em 2017, logo que terminou seu doutorado, este já foi um reconhecimento muito importante, uma homenagem regional por seus feitos enquanto linguista de destaque, com uma produção e contribuição importantíssimas na ciência.

Reconhecimento que ganhou um novo patamar com a recente nomeação a uma academia de dimensões ainda maiores, porque a Academia de Letras da América Latina está acolhendo Bruno como um de seus mais novos membros – tanto no sentido de parte recente dessa instituição quanto a idade do doutor em linguística, já que Bruno tem apenas 34 anos.

A honra de fazer parte da Academia de Letras da América Latina

“A Academia de Letras da América Latina é muito diferente, porque ela é tão grandiosa que é inimaginável, eles estão levando em consideração toda minha trajetória aqui no Brasil de escrita científica, mas também tudo aquilo que eu fiz lá fora, nos países que falam espanhol, nos países da América Latina”, comenta Bruno sobre o acontecimento.

Como não poderia deixar de ser, é uma honra fazer parte de uma organização que teve Gabriel García Márquez como primeiro membro – ele é o maior nome da literatura hispano-americana, afinal, referência dentro e fora do meio acadêmico. Estar sendo colocado perto dos grandes mostra que Bruno realmente está no caminho certo.

As raízes de formação desta carreira brilhante

É possível ter uma ideia do tamanho de sua satisfação pela legenda “Quando comecei, há 20 anos, no interior do Pará, jamais imaginei que isso pudesse acontecer, sobretudo falando e escrevendo em Português. Estou muito feliz.”, comentário que teceu há alguns dias em sua rede social, comemorando a nomeação e como a notícia vem sendo divulgada em diferentes veículos.

Até o momento, vários jornais já realizaram publicações sobre o acontecimento, tanto dentro do Brasil como em Portugal, Angola, São Tomé e Príncipe e Estado Unidos, as quais Bruno se mostra muito grato.

Chegar onde Bruno chegou é fruto de muita dedicação e amor pelo que faz, uma dedicação contínua, que com certeza ainda tem muito a florescer.

Hoje, o mestre e doutor reside em São Paulo, mas veio do interior do Pará, estudou em escolas e universidades públicas, faz parte de uma família em que é o único com formação em ensino superior, e faz questão de destacar suas raízes quando fala de quem se tornou, consciente do próprio percurso e contexto de desenvolvimento.

Um sinal de modernização da academia latino-americana

Para ele, esta nomeação mostra os esforços da academia internacional para se modernizar, trazendo nomes mais jovens aos círculos de destaque e reconhecimento, tipicamente compostos por pessoas de idade mais avançada, que somam em tempo de carreira mais do que Bruno tem em idade.

Ele leva em consideração que tem muito a aprender com essas pessoas, essas referências, mas vê como um sinal de modernização da área esse olhar para pessoas mais jovens, que também merecem ser homenageadas por suas contribuições.

Ações como esta mostram um avanço da América Latina no reconhecimento, tanto de visões mais jovens, quanto da população lusofônica, que tem menos destaque em comparação aos falantes de espanhol, mais numerosos e com mais espaço na produção de conhecimento.

Bruno começou a ter contato com países latinos já há 10 anos, investindo em uma carreira internacional com um primeiro contato com o Chile, mas também esteve presente na Argentina, Colômbia, Bolívia e Paraguai.

Academia de Letras da América Latina

“Quando eu percebi, estava dialogando e fazendo coisas muito legais lá fora. E a gente faz sem nenhum tipo de pretensão, a gente faz pela alegria de colaborar com a ciência. Mas eu arrisco dizer que eu estou aprendendo, eu me permito a isso, a aprender. Acho que não se faz ciência e não se faz escrita se a gente não tiver essa predisposição de se colocar à disposição para ouvir o outro”, comenta.

Leia também: Bruno Gomes Pereira, professor da FAPUGA, é o pesquisador com mais capítulos publicados em livros acadêmicos [RankBrasil].

Vale destacar que o rol de publicações do docente conta com diversos capítulos em livros didáticos, artigos científicos e um livro infantil. Este último, fruto de um direcionamento mais recente de seu trabalho, que promete ainda novidades no futuro.

O Bruno é docente da disciplina de Linguagem e Argumentação na Fapuga, que é muito feliz por ter um profissional desse porte trabalhando junto a instituição, se orgulha e parabeniza por mais esta conquista.

Levar toda a sua bagagem e visão para dentro das salas de aula, aos alunos de Administração e Gestão Hospitalar na Fapuga e a todos os outros discentes que têm este prazer, traz uma contribuição abundante a cada formação.

A solenidade de posse acontecerá no dia 26 de agosto, no Hotel Copacabana Palace (Rio de Janeiro).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *